Smile

smile-jdorama-serie-japonesa

Esse dorama te indico para ter uma noção de como um pré-conceito pode mudar para sempre a vida de uma pessoa.

 Hayakawa Bito (Matsumoto Jun) tem um sonho: ter um restaurante ao lado da pessoa que ama, aonde vão ser servidos vários pratos de diferentes países; o nome do restaurante ele não sabe ainda, mas todos estarão felizes e sorrindo, sentados numa única mesa. Seria um sonho totalmente realizável para o jovem alegre e batalhador. Porém, pelo fato de Bito ser de descendência filipina, é humilhado constantemente e é sempre o primeiro suspeito de crimes que não comete. E atrás de seu sorriso, existia uma pessoa que sofria com o preconceito.

No passado, Bito fez parte de uma gangue, cujo líder, Hayashi (Oguri Shun), era um delinquente assassino. Mas quem acabou sendo acusado, injustamente,  pelos crimes (claro!) foi Bito, que ficou um bom tempo preso num reformatório para menores infratores. Quando saiu de lá, começou a trabalhar no Machimura Foods e foi onde ganhou a confiança dos amigos, e o coração da meiga  Hana-chan (Aragaki Yui).

Para realizar seu maior sonho, Bito começou, também, a trabalhar num bar, à noite. No entanto, sem saber que um colega de trabalho estava no mundo das drogas, Bito cai numa armadilha e, por ser um alvo fácil, é novamente levado para trás das grades. Dessa vez, o rapaz filipino não estará sozinho; terá também a força de Ito Kazuma (Nakai Kiichi), um advogado competente que também foi vítima de preconceito.

A partir daí inicia-se (como é mencionado no dorama) a história de luta de Bito, que através do amor e da justiça, mostra o seu heroísmo.

Antes de tudo, uma ressalva: quem acha que o título diz tudo sobre o roteiro e que, ao assistir você vai dar sorrisos e mais sorrisos, tome muito cuidado… alarme falso (muito muito muito falso). SMILE (2009, TBS, 11 episódios)  é um dos doramas que mais me fizeram derramar lágrimas. E apesar de acordar com o olho inchado de tanto chorar, não deixaria de indicá-lo. É uma estória linda, com um protagonista lindo, com uma atriz coadjuvante linda, abordando um tema muito sério e polêmico: o preconceito racial. Pelo que eu me lembre, foi o único dorama que colocou esse tema como assunto principal, mostrando um lado diferente do mundo asiático. Acompanhar a  vida de Bito prende nossa atenção do início ao fim, e o que mais desejamos no final é ver o seu sorriso novamente!

Cada vez mais confirmo que a qualidade dos atores é tudo para tornar o dorama envolvente. Matsujun, pela milésima vez, está de parabéns! Convence demais (até no bronzeado!)! Não só ele, como Aragaki, que faz o papel de uma garota muda. E, assim como em “Hana Yori Dango”, Matsujun e Oguri Shun (loiríssimo) atuam juntinhos…com uma pequena diferença: em Hanadan eram amigos do peito e nessa trama, são inimigos do peito…rs. Não percam, de forma nenhuma!!!

Cada episódio encerra com Matsujun, Aragaki e Nakai em meio a um “mar” de bebês de todas as raças num cenário branco que, acredito eu, seja para representar a paz com que se pode viver, com pessoas de diferentes tipos num mesmo meio. Assista:

A música-tema é Ariamaru Tomi, de Shiina Ringo. Assista ao PV da canção.

Eu, como descendente de nihonjin, nunca sofri nenhum tipo de preconceito em nosso país. E vocês, já sofreram?

  • Nane Kiyomi Iwasaki

    Oi Sayuri!!! “Smile” é um dos poucos doramas que muita gente lembra que MatsuJun protagonizou (porque muita gente associa MatsuJun = HanaDan ou Gokusen).
    Lembro que esse dorama foi divulgado direto na época, lembro do cartaz até hoje. Na verdade, seria meio ironico o titulo, porque, quem assistiu, disse que chorava chorava chorava (tanto que me aconselharam a não assistir caso eu estivesse “naqueles dias”).
    E eu lembro do Nakai Kiichi por causa deste dorama (ele também participou em “Priceless”).

    Sobre preconceito ~ eu dificilmente eu falo sobre isso, mas quando eu estudava, eu fui vítima, porque eu era a UNICA descendente de japoneses em uma escola em todas as séries que estudei. Sem falar das cobranças dos professores, dizendo que “ah, japones é tudo certinho, inteligente, bla bla bla” (nao que eu nao fosse, mas ODIAVA esse tipo de ironia).

    A situação melhorou quando fiz faculdade.

    “Smile” foi um dos poucos doramas que aborda o preconceito racial (que nao se limita somente a cor, mas também a nacionalidade). Outro dorama que tambem aborda esse tema, é velho, eu sei, mas está valendo, seria “Doku”, com Katori Shingo (em 1996, mas a musica tema todo mundo lembra – “Pride”, da Imai Miki).

    Beijao e desculpa o comentario MUITO longo…

    • sayurine

      Olá, Kiyomi! Verdade mesmo… esse é um dorama (ótimo!), mas que poucos lembram. Não precisa se desculpar pelo tamanho do comentário, pois há muitas informações mega interessantes nele!

      Pensando bem… essa rotulagem que é dado aos descendentes de japoneses aqui no nosso país, tbm é um tipo de pré-conceito né?! Eu tbm não gostava qdo faziam isso comigo… 🙁

      Bjos!! Até a próxima… 😉

  • sayurine

    Oie, Viviane! Terminou de assistir o dorama? Gostou? Bjão!

  • Thiemi

    Assisti o dorama a pouco tempo,e,para mim,o nome “Smile” representou como o “objetivo do drama,objetivo para Bito”.
    Gostei de sua avaliação de Smile,é um dos dramas que eu não teria coragem de ver de novo tão cedo,porque o conteúdo ainda esta fresco na minha mente,de tão “impactante” que foi para mim.
    Ainda fico muito boba quando assisto um dorama do Matsujun,porque me encanta a forma como ele passa os sentimentos em cada papel de cada dorama.
    Gostei ainda mais do dorama,por colocar uma atriz tão boa como a Aragaki Yui,e como outros atores/atrizes que fizeram tão bem o seu papel,me fazendo buscar outro de seus trabalhos.
    A frase é muito difícil de esquecer,porque,é praticamente o resumo do dorama (por assim dizer).
    Eu entendo o preconceito que o Bito sofre,porque passei/passo na minha pele.
    É um dos poucos doramas que aborda o preconceito racial e nacionalidade,mas,serram dos que eu irei lembrar pelo modo “impactante” que foi mostrado.
    Mais uma vez,adorei a sua avaliação ˆ ˆ O comentário ficou meio grande,mas,é isso ˆ ˆ

    • sayurine

      Olá, Thiemi! Obrigada pelo comentário. Realmente o dorama é muito impactante. Apesar de tê-lo assistido uma vez só, lembro muito bem da estória e do sofrimento do protagonista. Claro que a atuação do nosso Matsujun ajuda ( e muito!).

      Espero vc mais vezes aqui! Bjão